Depois das férias, hora de revisar seu blindado

Passado o período de férias, quando muitos embarcam com seus carros nas viagens, é hora de estacionar o veículo para a realização de uma minuciosa revisão. Esse cuidado deve ser ainda maior quando se trata de um veículo blindado, já que a falta de manutenção pode comprometer a eficácia da proteção.

“Fatores como o calor exagerado e as péssimas condições das estradas do país afetam qualquer tipo de carro, inclusive os blindados. Por isso, uma criteriosa inspeção para avaliar as condições de rodagem é fundamental depois de exigir tanto do automóvel durante as viagens de férias”.

Itens como pastilhas de freio, balanceamento e alinhamento do veículo, funcionamento de travas e airbags devem ser checados. O processo varia de acordo com cada empresa e pode demorar alguns dias.

Os vidros também devem passar por uma avaliação. Uma das maiores preocupações é com o risco de delaminação (processo de deslocamento das camadas que o compõem). Acontece em virtude de vários fatores, mas, sob exposição intensa ao calor, o processo é acelerado. A delaminação é facilmente notada pelas bolhas de ar esbranquiçadas que aparecem nos vidros. Dependendo de seu grau e localização, podem afetar a resistência balística.

“Outro agravante. Durante uma viagem, muitas pessoas deixam de se preocupar com o local onde deixam seus veículos. Com um blindado, essa preocupação deveria ser essencial, já que está diretamente relacionada à garantia de segurança”, alerta o presidente da Abrablin.

Além do calor excessivo, a atual situação das estradas do país reforça ainda mais a necessidade de revisão. Lombadas, valas e desníveis de solo não sinalizados, além de incontáveis buracos em quase todas as rodovias brasileiras, podem abalar a estrutura do veículo e, por conseqüência, desajustar ou pressionar os vidros do automóvel.

“Tais riscos também podem comprometer a proteção balística”, afirma o presidente da Abrablin, que dá a dica: “Caso o usuário tenha alguma dúvida sobre onde fazer a revisão, deve procurar a blindadora onde o serviço foi realizado e pedir instruções. O fundamental é que não deixe de fazê-la, já que vidas, os bens mais valiosos, estão em jogo”.